Varejo: conexão offline-online para atrair visitas às lojas físicas

A expressão “Apocalipse do Varejo” foi criada para designar o momento crítico pelo qual estão passando empresas tradicionais do setor, por conta do avanço de players como Amazon e Alibaba. Um estudo do banco Credit Suisse aponta o Magazine Luiza como uma das sete empresas no mundo capazes de sobreviver a esse furacão. A chave é a integração das operações on e off-line, do e-commerce com as lojas físicas. Uma estratégia bolada e bancada por Fred Trajano, que hoje está no comando da empresa.

O case da varejista foi apresentado por Trajano na edição “Como a tecnologia está revolucionando o varejo físico”, da In Loco University. Durante o evento, Trajano compartilhou a estratégia que o levou a implantar o canal de e-commerce, no ano 2000, já com a proposta de integrar a operação digital à das lojas. Desde o começo, o cliente podia comprar online e retirar na loja, ou ir à loja e comprar no site, inclusive com a ajuda dos vendedores.

Os números mostram por que não se pode descuidar dos pontos de venda: o comércio eletrônico representa menos de 5% do varejo brasileiro, uma prova de que a loja física está longe de ser carta fora do baralho. Não é à toa que os gigantes digitais estão investindo no varejo físico – vide o exemplo da Amazon, que comprou a rede de supermercados Whole Foods, e do Alibaba, que está com uma postura agressiva de aquisições.

A tecnologia para integração on/off é crucial para a operação em si, mas também para atrair o consumidor. Ferramentas sofisticadas de geolocalização cumprem essa função, pois permitem mapear o comportamento e o contexto – por exemplo, identificando se o consumidor visitou o concorrente, se vai sempre ao pet shop, ou frequenta academia de esportes.

Uma tecnologia que mapeia a jornada do consumidor de maneira ainda mais assertiva. Afinal, no online, nem toda a navegação significa intenção real de compra. Quem entra no site da Ferrari não está necessariamente interessado em comprar um carro. Agora, se a pessoa foi até uma concessionária, provavelmente quer, pois gasta-se muito mais energia para ir à loja física do que ao site. A indicação no mundo real é muito mais forte que no online.

A inteligência da In Loco traz justamente este valor ao varejista: usa inteligência de localização indoor para entender a jornada do consumidor no mundo off line e usa o mobile para impactá-lo com mensagens publicitárias no momento mais propício para influenciá-lo ir até à loja da marca anunciante.

Tudo isso, com uma tecnologia que garante 100% do anonimato do indivíduo sem a coleta de dados de identificação como nomes, RG, CPF ou e-mail. É a conveniência do digital com o direito da privacidade garantido.

Integração on/ off é o futuro. O Magazine Luiza que o diga.

No Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: